Buscar
  • Nina Russo

Quarto de nenem

Não há como negar que pensar no quarto de um nenem que vai chegar é um momento muito especial, a gente começa pelas referências, faz pesquisa, pensa em mandar fazer coisas especiais, e assim vai, não há limites para a imaginação.


Eu demorei muito tempo para começar a idealizar o quartinho da Liz, para começar que Liz em tese tinha três casas, então a primeira pergunta que passava na minha cabeça era " onde vai ser o quarto dela ?", vai ser no meu apartamento ? Vai ser na casa dos meus pais ? Vai ser na casa dos avós que moram em outra cidade ? Onde vai ser ?


Depois, como qualquer pessoa, comecei a buscar referências de quarto, eu sou do tipo minimalista, pensava em algo cinza e branco, com detalhes em rosa e verde, e um ambiente bem lúdico, tranquilo.


Como estamos em uma fase de muitas gravidas, era referência que não acabava mais, uma tinha feito um quarto com tema selva com direito a cabeças de pelúcia, a outra tema doces, fadas, elefantes, uma infinidade de possibilidades.


Como as gravidas estão a solta, e a grande maioria das pessoas, amigas minhas inclusive estão acompanhando essas gravidas, a pergunta que eu mais escutava era " qual vai ser o tema do quarto da Liz ? Já pensou ? Se quiser te ajudo com referências!!" sem dúvidas, muito empolgante para todo mundo, mas eu sempre respondia "não sei ainda, algo meio assim", e mostrava referências neutras, com detalhes em verde, rosinha, amarelo, azul, nada muito temático para a decepção de alguns.


Com o passar dos meses eu acabei deixando isso tudo de lado, porque percebi que estava sendo influenciada pela mídia, pelas blogueiras que ganham quartos incríveis para divulgação e portfólios de empresas e pelas minhas amigas que estavam na vibe " vou ser titia".


Comecei a ignorar tudo isso e olhar pra dentro, buscar dentro de mim o que eu sentia, o que eu queria e como eu imaginava, não só no aspecto de quarto, mas de muitos outros também.


Como estamos falando de quarto, vamos focar nesse assunto.


Pra quem não sabe eu nasci no Rio Grande do Sul, sou gaúcha e moro desde sempre no ABC - São Paulo, na época meus pais estavam em transição e eu vim no avião dentro de uma cesta de pão ( amo quando meus pais contam essa história) eu no avião com copinhos no ouvido vindo passar o natal com a família e conhecer minha futura casa.


Se eu disser que tenho lembranças do meu quarto de bebê estarei mentindo, mas tenho boas memórias a partir dos meus três anos.


Pra ser muito sincera, eu morava em uma casa, e meu quarto tinha um enorme guarda-roupas embutido em uma madeira escura, uma cama, uma cadeirinha que eu levava pra lá e pra cá e só, era literalmente um quarto de dormir, não era quarto de menina, não tinha bonecas, flores e laços para nenhum lado.


Eu e meu irmão tínhamos o quarto de brincar, o que eu lembro dele é que tinha muitos e muitos brinquedos, uma TV, uma mesinha com cadeiras e muitas coisas para colorir.


Como eu morava em casa, a gente ainda tinha horta,uma árvore que eu sempre me metia a subir e não sabia descer, um galinheiro, um espaço com areia "nosso parquinho", e redes, rede normal mesmo, onde eu e meu irmão brincávamos de "quem voa mais alto", além disso, lembro de ir na casa do meu avô brincar de "ski bunda", bicicleta, ia todos os finais de semana pra praia, onde brincava de soltar pipa, policia e ladrão entre tantas outras brincadeiras.


Nessa de mergulhar dentro de mim percebi que meu quarto nunca importou de fato, mas as lembranças que eu tenho são de brincadeiras, estímulos diferentes, lugares diferentes e não de onde eu dormia.


Com cinco anos mudei de uma casa para um apartamento, e lembro perfeitamente do meu quarto, ele era todo branco e rosa, e como eu já era "mocinha", tinha uma penteadeira e uma escrivaninha, mas não tinha graça ficar lá, eu queria descer, andar de patins e esfolar os joelhos, brincar de desenho com o meu pai, video game com o meu irmão, enfim, queria tudo, menos ficar no quarto.


Foi pensando em tudo isso e muito mais que comecei a perceber que criança tem que ter estimulo e que essa expectativa toda para o quarto da Liz era, na minha opinião, bobagem.


Decidi então fazer um quarto de criança, e não necessariamente de bebê, criança gosta de cor, gosta de bagunça, gosta de ter mil e um brinquedos, gosta de se aventurar no seu mini mundo, e não de um quarto de revista, onde qualquer coisa que saia do lugar os pais vão torcer o nariz.


Comecei a observar também nas minhas amigas que tem filhos coisas de uma maternidade real que está fora de um quarto de pinterest.


Percebi que nenhuma usava a sua "cadeira de amamentação", que todas deixavam a casa ser tomada pelo nenem, então montaram um quarto lindo para o bebê dormir, porque ele vai estar onde os adultos estiverem, então a bagunça rola na sala, tapete fisher price com brinquedos para todos os lados, carrinho no meio do corredor, e na maternidade real, é isso que acontece, e não um quarto perfeito, com tudo no lugar, isso não existe.


Dito isso exclui a cadeira de amamentação e também o armário com trocador e mimimis para a troca do bebê, me conhecendo bem, vou ser a mãe que troca na cama, troca na sala, troca onde estiver, mas vou trocar em um trocador portátil, e vou dar de mamar com aquelas almofadas de amamentação, sem dúvidas eu não ia pro meu momento "mamãe na poltrona" para fazer essa tarefa.


O quarto da Liz é esse que vocês estão vendo, com uma coisa ou outra para mudar, mas por hora é isso.


O quarto é pequeno, mas grande o suficiente para alguém que vai nascer com cm de comprimento, optei por esse moisés de bercinho, que tenho certeza que vai migrar pro meu quarto logo menos, depois quando ela estiver grande pra ele, eu decido o que ela vai ter, cama montessoriana de casinha,mini cama, não faço ideia, vou dançar conforme a musica.


O quarto tem iluminação dimmer, tanto o meu quanto o dela, o que facilita na hora das mamadas da madrugada ou se algo acontecer, sempre deixando um clima confortavel no ambiente, sou apaixonada por iluminação assim.


Como vocês podem ver o quarto dela é bem colorido e cheio de pelúcias, e pra ser bem realista, é um quarto que já vai trazer muitas memórias, além de muito amor.


Tem pelúcias minhas, que fizeram parte da minha infância, tem ursos como o leitão por exemplo que foi um marco como "meu primeiro urso gigante" da minha vida, tem herança da Manuela (minha sobrinha), tem pelúcia que a vovó deu, que o papai comprou, que a Silvone que trabalha aqui em casa e vai fazer parte da crianção dela deu, enfim.


Pelúcias com todos os tipos de histórias e lembranças, e outras que vão começar a ter história com a Liz, os armários estão cheios de brinquedos, que conforme ela for crescendo eles vão aparecendo.


O que ela precisa agora é, de um lugar gostoso para dormir, um tapete macio para se jogar, amor, carinho e atenção, é isso que um nenem precisa.


Liz veio ao mundo com o propósito de alegrar a casa, e se depender de todos, ela vai ter uma infância livre como eu tive, e não sai ser uma menina de quarto de apartamento, nem uma menina do rosa, ela vai aprender que as cores não tem gênero, que o mundo dela é colorido sim, que pelúcias são divertidas como bonecas, e que viver fora de casa é uma aventura que vai além do que ela pode imaginar.


Não sei se tudo que eu falei faz algum sentido para vocês, mas para mim faz muito, e eu amei o cantinho colorido da Liz, ele é um quarto de criança, e não necessariamente de menino ou menina, ou então um quarto pinterest, é o quarto da minha filha.



42 visualizações

RECEBA AS NOVIDADES

  • Black Instagram Icon

© 2019 por nina russo