Buscar
  • Nina Russo

Depressão é coisa séria

Estamos passando por um momento onde o assunto "depressão" está bastante em alta, não só no período da gestação, mas na vida de todos.


Estamos vivendo na era dos likes, da vida perfeita na internet, na busca do corpo perfeito, na felicidade infinita, enfim, estamos em busca de algo que não é humano, isso tudo de fato não é real.



Vira e mexe costumo usar minhas redes sociais para lembrar as pessoas que 15 segundos de stories não é absolutamente nada do meu dia, e que se eu pego o meu celular para falar de algum determinado assunto, ou mostrar alguma situação, aquele fato existiu por alguns segundos ou minutos, mas o meu dia vai muito além do que eu mostro.


É muito fácil julgar alguém pelo que vemos na tela, casais felizes se declarando, e no fundo já não aguentam mais aquela relação, status, ilusão, fantasia, é isso que essa nova era está fazendo, maquiando a realidade.


Como já comentei antes, me vi gravida junto com muitas famosas, e a grande maioria delas, pelo menos as que eu acompanham maquiaram a gestação como algo mágico, maravilhoso, e ai, o que acontece comigo ? um ser normal, um ser real, me sinto deprimida e culpada por não estar sentindo o mesmo.


Todos esperam que eu esteja saltitando de alegria, afinal, é uma vida não é mesmo ? A culpa de não estar passando por essa alegria toda só aumenta, e ai que vem o grande perigo.


DEPRESSÃO GESTACIONAL, ela existe, e existe MUITO, e não é exclusividade de quem não esperava ser mãe não viu ? acontece até mesmo com quem sempre quis estar nesse papel e de certa maneira buscando esse filho.


Acredite ou não o numero de mulheres gravidas com a doença chega a 20%, é um numero bem alto, considerando que "deveria ser um momento de alegria", como em muitos casos, vocês devem saber que gestantes não podem tomar qualquer remédio, e dependendo do nível da doença é mais do que valido buscar um profissional que te receite algum medicamento, talvez algum natural ou fitoterápico seja a solução.


Há quem diga que é frescura, que é algo inventado, e de verdade, não acredite !


Esse fato não deve ser ignorado de forma alguma, eu tive depressão e tenho certeza que uns e outros não acreditaram, já que em muitos momentos eu parecia estar feliz, mas quem tem esse pensamento sobre mim são pessoas que não estão ao meu lado para de fato saber o que anda acontecendo.


Eu busquei forças até onde não tinha para mudar esse quadro, já que isso pode levar sim a um quadro de depressão pós parto, já tive amigas que tiveram, e eu acredito que seja pior ainda do que passar por isso gestante.


Por isso nesse momento, busque ajuda, de verdade, e não necessariamente de um profissional, mas procure um ombro amigo, procure pessoas que não vão te julgar, procure dividir com o seu companheiro o que está te afligindo, divida tarefas, busque fazer algo no seu dia que te dê prazer, não foque só na gravidez, tente descansar, se possível diminua sua carga de trabalho, enfim, busque ajuda, porque é um problema sério sim!


No meu caso, como eu já comentei eu busquei me "isolar", minha família, dessa vez estava feliz com a gravidez e queriam perguntar coisas, fazer planos, fazer chá de bebê, comprar roupinhas e afins, mas era alguém começar a falar sobre o assunto que eu começava a chorar e me enfiava no quarto, triste, achando que meu mundo estava acabando.


Outras pessoas como o pai da Liz, e amigos, tentaram fazer o mesmo " vamos falar de algo legal, vamos falar sobre o nome", sei lá, qualquer assunto para mim era insuportavelmente irritante, eu simplesmente não queria falar sobre e ponto.


Meu avô ficou sabendo agora a pouco, no meu sexto mês, e ontem, dia dos pais, foi quando minha tia me ligou e disse que estava sabendo da noticia, e sinceramente, o fato dela me ligar para falar sobre o assunto resultou em voz ríspida e viradas de olhos.


Mesmo hoje aceitando que estou gravida, e no fundo sabendo que vou ter uma companheira pro resto da vida, que vai ser demais, que ela vai ser linda, isso e aquilo, eu simplesmente não consigo me animar muito.


Acredite ou não, a Liz nasce daqui 9 semanas, e eu não comprei o enxoval, não vi carrinho, na verdade nem hospital, absolutamente nada, a única coisa que ela tem é o bercinho que ganhei de dia das mães e chegou a pouco tempo, mas não consigo encontrar prazer em fazer essas coisas ainda, AINDA, dá até vontade de dar risada né? Afinal, logo, logo ela está aqui, e eu PRECISO ver essas coisas com urgência, mas e a força para ir fazer tudo isso sozinha? Difícil viu ?


Voltando ao que eu estava dizendo, no meu caso busquei isolamento, quis ficar na minha casa sozinha, me afastei de todo mundo e me dei um tempo, o meu tempo para entender tudo o que estava acontecendo, ainda hoje não pensem vocês que super falo sobre o assunto e faço planos, vivo ouvindo bronca dos meus pais " escuta, você vai ver o hospital quando? quando a Liz nascer?", enfim, busquei nos meus momentos bons, ver meus amigos, ir ao cinema, conversar sobre aleatoriedades, tudo que não fosse maternidade, eu literalmente fugi do assunto, a hidroginástica me ajudou também, saber que eu estava me cuidando de certa forma, me aliviou, coisas básicas como fazer a unha, passar uma maquiagem no rosto também me ajudaram, pode parecer bobagem, mas o fato de tentar levar minha vida normal foi a solução, e tem um enorme fator também, eu praticamente parei de trabalhar, e talvez agora nesse final, que é quando eu deveria estar descansando, estou trabalhando tudo que não trabalhei nos outros meses.


Em minhas pesquisas sobre o assunto, vi que eu realmente me enquadrava nas características de uma gestante em depressão.


Problemas para dormir e se alimentar, comer demais ou de menos, ter sonolência ou insônia, falta de libido e energia, perda de prazer pelas atividades cotidianas e por ai vai, tive absolutamente todos os sintomas.


Hoje em dia posso dizer que estou ganhando essa batalha, no ínicio não, eu literalmente fui vencida por cada um dos sintomas, mas sendo muito racional, eu sabia que não comer, não dormir, não tomar os remédios corretamente do pré natal, entre outras coisas, só iriam prejudicar o bebê, e se acontecesse qualquer coisa com ela, a culpa seria minha, então mesmo nessa situação, eu me forcei a fazer tudo direitinho para não me arrepender depois.


Depressão afeta diretamente o feto, e pode gerar um parto prematuro e também alterar o desenvolvimento do feto, se você está passando por isso, não exite em procurar ajuda.


Se você se identifica com a maioria das descrições abaixo, converse com seu médico.


- Sentimentos depressivos, tristes, na maior parte do dia, quase todos os dias, por no mínimo duas semanas


- Perda de interesse ou prazer em atividades de que normalmente gosta


- Fadiga, falta de energia


- Inquietude


- Sentimentos de culpa ou de inutilidade


- Dificuldade de se concentrar


- Distúrbios do sono - tem insônia ou dorme demais


- Distúrbios de apetite - come demais ou não sente vontade de comer


- Pensamentos recorrentes de morte ou suicídio


Ser mãe, é começar a mudar a cabeça desde que o nenem é um feto, é assumir as consequências dos seus atos, então cuide- se !




9 visualizações

RECEBA AS NOVIDADES

  • Black Instagram Icon

© 2019 por nina russo