Buscar
  • Nina Russo

Ai que medo !

Já contei algumas vezes sobre meu "trauma" de gravidez, mas caso você não saiba qual é, vou resumir.


Eu era super nova, época de aula de ciências na escola e estávamos aprendendo sobre sexualidade, na aula acabou passando um vídeo de um parto normal domiciliar, e quem filmou foi o pai, então você deve ter uma ideia de como o vídeo era caseiro e totalmente sem cortes, o que fez com que eu tivesse PAVOR de gravidez e a partir daquele dia disse que jamais na vida seria mãe e nem casaria, porque na minha cabeça uma coisa estava ligada a outra.




Pois bem, engravidei e logo no início já ligou a chavinha do medo, para você ter uma ideia, quando minha ex cunhada estava gravida, chegou um momento que eu não chegava mais perto dela com medo do parto dela.


Quando comecei a falar sobre o temido parto com a minha médica eu logo dizia " vou fazer cesárea, Deus me livre passar pelo parto".


Mas isso era algo que eu só comentava com ela, para todo o resto eu nem gostava de entrar no assunto.


O tempo foi passando e eu comecei e me interessar em saber mais, e acredito que em todas as fases da vida e para qualquer coisa, conhecimento sempre é a chave.


Comecei então a perguntar para as minhas amigas como tinha sido o parto delas, perguntava detalhes, queria saber tudinho, nível de dor, como pediu a anestesia, como foi para o hospital, enfim, tudo!


Nessa minha busca eu acabei conhecendo a " casa moara", que fica a 10 minutos da minha casa em São Paulo.


Esse lugar tem encontros semanais de gestante e com temas maravilhosos, além de vários profissionais para esse momento.


Lá tem yoga para gestante, dança, fisioterapeuta pélvica, doula, enfim, uma infinidade de profissionais, então comecei a segui no instagram e comecei a fazer uns cursos que achei que faziam sentido e uns papos de gestante.


Faz duas semanas que eu fui em um desses encontros com o tema "fases do parto", eu queria muito ir nesse, porque eu queria entender as fases, queria entender em qual momento eu tenho que ir para maternidade, e também entender como começa e como termina, esse tipo de coisa a gente só sabe quando passa, ou quando está gravida e busca informação.


Eu dou GRAÇAS A DEUS por ter nascido em uma época onde a gente tem acesso ao conhecimento, porque de verdade, eu tive uma semana TENSA.


Eu não sei como são os pais de vocês, mas os meu são DESESPERADOS, isso porque eles tem alguns motivos pessoais que os levaram a ser mais alarmistas, mas isso, não vem ao caso.


Na segunda -feira foi o primeiro grande susto que levamos, já faz um tempo que venho tendo as famosas "contrações de treinamento", são HORRÍVEIS e no meu caso, sempre acontecem na madrugada, mas na segunda-feira chegamos a ligar para a minha médica, por insistência dos meus pais e ela mandou a gente ir correndo para a maternidade, era alarme falso, e eu sabia disso, mas não quis contrariar.


PRÓDOMOS, é o nome correto para essas contrações que venho sentindo, basicamente minha barriga fica dura igual uma pedra, minha periquita inchada, sinto uma forte pressão lá embaixo e muitas vezes dor na costela e nas costas, o que atrapalha um pouco a minha respiração, bom, esses são os meus sintomas, eles variam muito de uma pessoa para outra, tem mulheres que nem passam por isso, não é regra.


De seis dias, eu tive três, estou torcendo para não ter essa noite também, de todos, sem dúvidas o de ontem foi o pior, eu acordei de madrugada e travei, não conseguia me mexer na cama, não conseguia gritar para pedir ajuda, chorava de uma forma descontrolada e sentia uma dor absurdamente forte, mais forte do que qualquer uma que eu já havia sentido.


Quando a contração diminuiu, consegui me levantar e pegar meu celular na tomada para pedir ajuda aos meus pais, eles vieram pro meu quarto em um pulo, já querendo me arrastar pro hospital, falei que não ia, mas que queria um chá e a companhia deles, e assim foi por algumas horas, até que passou e eu consegui dormir.


Ontem eu voltei a sentir muito medo do parto, pensei " se essa dor é de treinamento, imagina quando for pra valer, ferrou! ", agora, cada dia que passa é mais um dia que se aproxima do dia do parto, o medo aumenta, a vontade de ter pessoas por perto também.


Agora eu entendo um pouco quando as gravidas falam "não sei se quero que o bebê continue na barriga ou se quero que ele saia logo", o ficar na barriga é porque ainda dá para fazer as coisas, não tem a preocupação dele estar do lado de fora, mas o querer que saia logo é por esses sustos, é pelas dores, é pela dificuldade de respirar, de andar, de abaixar e de fazer qualquer coisa nesse final.


É aquela coisa, entrou, tem que sair, então logo menos a Liz está aqui.


Mas o que eu queria falar, de verdade é, independente do assunto, BUSQUE INFORMAÇÃO, e informação não é com o colega, é com um profissional.


Canso de receber mensagens no meu instagram "Nina, você anda abusando muito", "Nina toma tal remédio que passa", NINA, NINA , NINA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!


Eu particularmente, sei que todas as mensagens são de pessoas querendo o meu bem, pessoas que só querem ajudar, mas de verdade, cada gravidez é ÚNICA, canso de falar isso, e a única pessoa que devo ouvir é a minha médica.


Escuto de tudo um pouco e me irrito muitas vezes, estou no oitavo mês e dirijo SIM, qual o problema ? O dia que minha médica proibir eu paro, eu estou no meio de uma mudança, e é ÓBVIO que eu não estou arrastando geladeira, mas carrego sim alguns livros, sento no chão para passar pano nas gavetas, subo em escada para pegar alguma coisa no alto e tantas outras coisas, mas sempre no meu tempo, faço tudo a passos de tartaruga e também, faço e deito um pouquinho ou sento para respirar e assim vai, e tá tudo bem!!!


Eu não pretendo fazer mal pro meu nenem, nem prejudicar minha gestação, muito menos adiantar o parto, estou fazendo tudo no meu ritmo, e as pessoas insistem em criticar ou então em palpitar.


Os palpites que mais recebo são PRINCIPALMENTE de pessoas que NUNCA estiveram gravidas, isso porque ? porque se baseiam em informações aleatórias e não de vivências e querem palpitar para parecer entendidas, que saco!


Amo quando recebo mensagens de mamães falando " passei por isso também", "fiz isso e não teve nenhum problema", "minha médica me recomendou tal coisa, porque você não vê com a sua se pode ?" são comentário totalmente diferentes.


Pegando um pouquinho dali e outro pouquinho daqui e sempre buscando o "carimbo" de um profissional a gravidez vai que vai.


Se eu puder dar algumas dicas, sem dúvidas elas seriam.


1- Aprenda a abstrair comentários, ou filtrar para não se irritar


2- As vezes a gente desabafa no stories sobre algo e começam a aparecer "dicas" de todos os lados, mesmo sem pedir, então se algo fez sentido, PERGUNTE PARA A SUA MÉDICA antes de seguir a dica, porque cada gravidez é única.


3- Busque se informar sobre qualquer coisa, por mais inútil que você pense que é, se informar nunca é demais.


4- Comece a seguir fisioterapeutas, doulas e outros profissionais para você ter informação de fontes seguras


5- Participe de encontros de gestantes, faça cursos em hospitais e tudo que deixe você mais segura.


6- Nunca se esqueça que você não está sozinha! Peça ajuda, chore se preciso for, ligue de madrugada para alguém, não importa, mas sozinha, você não está.

26 visualizações

RECEBA AS NOVIDADES

  • Black Instagram Icon

© 2019 por nina russo